domingo, 31 de maio de 2009

Dia do Patrimônio Histórico

Hoje foi dia do Patrimônio Histórico no Chile, todos os museus e casas de culturas estavam abertas para visitação com entrada gratuita. E o povo corresponde, as ruas do centro, onde fica a maior parte dos prédios culturais estavam cheias de gente. Tinha até um palhaço controlando o trânsito na frente do Museu de Bellas Artes, olha só na foto.

No El Mercurio: Día del Patrimonio atrajo a más de 200 mil personas

Eleições no Chile

Em outubro desse ano tem eleições presidenciais aqui no Chile. São seis os principais candidatos que disputam a cadeira de Michelle Bachelet:

- Sebastián Piñera, canditato oposicionista mais forte, Alianza, RN/ APC-CPC
- Eduardo Frei, candidato do governo, Concertación, PDC/CPD
- Marco Enriquez-Ominami, candidato independente muito bem cotado. Tem surpreendido nas pesquisas.
- Jorge Arrate, candidato oficial del Juntos Podemos.
- Adolfo Zaldívar, candidato oficial del PRI
- Alejandro Navarro (MAS)

Nos próximos posts vou escrever mais sobre as eleições e os candidatos, por enquanto, dá uma olhada no vídeo-paródia que fizeram dos candidatos:

sábado, 30 de maio de 2009

Bueno, bebendo que se aprende!

La Piojera é sinônimo de início de noite. Terremotos, Maremotos e muito papo. Ontem pude praticar um estilo de entrevista jornalística dentro do que se denomina 'Jornalismo Gonzo'. A prática consiste em entrevistador e entrevistado completamente bêbados, falando de assuntos variados. Esse estilo é bom principalmente para traçar perfis mas, como era só um experimento nada profissional, resolvi 'entrevistar' os bascos sobre como era ser basco.

O País Basco - Euskadi - é um tema muito interessante, porque é uma nação que existe, tem cultura e linguagem própria - euskera -, território definido, reconhecimento público, mas nenhum reconhecimento oficial. Aqui tem um mapa e mais informações a respeito.

Entre todos os que foram aqui do El Punto, umas 18 pessoas, havia três bascos, Aitziber, Jon e Aitor. Conversei mais com Aitziber e Jon que estavam mais próximos no La Piojera. Bom, no decorrer da conversa, senti necessidade de ter um gravador, por medo de esquecer da conversa depois que bebesse um pouco mais. Mas como era só uma conversa informal, a título de experiência jornalística nada profissional, anotei isso mentalmente para a próxima.

Do que me lembro que perguntei (hic) e as respostas
Perguntei a Jon qual era a diferença entre um basco e um espanhol. Ele disse que ele é um tipo de basco bem comum, que todos os bascos típicos são parecidos com ele (caucasiano de baixa estatura, olhos claros, cabelo escuro). É fácil reconhecer um basco assim e só os que são `misturados' - como Aitor, que é alto e vive no litoral - são diferentes). Jon vive em Bilbao, que é como a capital do País Basco.

Ele apontou prá Arthur e disse que ele tem cara de brasileiro, dá prá ver de cara. Eu disse que não sabia se tinha cara de brasileira típica, porque sou misturada, meio índia, meio italiana. Na verdade não sei como seria a cara de uma brasileira típica, mas Belén me disse que achava que Carla e Vanessa tinham mais cara de brasileira que eu. Aí Jon apontou prá mexicanas que estavam em cinco e perguntou qual delas tinha cara de mexicana.

Eu, Belén e Bernard concordamos que era a de cinza. Aí percebi como é difícil estabelecer um padrão. Qual é a cara de um brasileiro? Não sei.

A seguir perguntei que costumes eram mais diferentes entre bascos e espanhóis. Jon disse que o idioma euskera se aprende como primeira língua. Que só depois dos seis anos aprendeu espanhol porque era curioso. Ele frequentava uma escola em que os professores davam tapas nos alunos que falassem espanhol e ele vivia apanhando. Aitziber aprendeu espanhol de ver TV e escutar música quando era criança. Aitor disse algo sobre isso, mas eu não me lembro. A essa altura já estava tendo lapsos de memória e isso que não bebi todo o meu Maremoto!

Belén percebeu que mesmo entre os bascos há sotaques diferentes. Que o de Aitziber é mais 'seco', como o que se fala no interior da Argentina, e o de Jon é mais solto. Pelo que entendi, Aitziber é mais radical em sua postura basca e isso se reflete em seu modo de falar.

Outra coisa que é bem diferente são os esportes. Nesse ponto, achei que estavam tirando onda comigo, porque falaram que os esportes bascos são jogados com pedras (!?) e que os atletas são bem musculosos por isso. Que há levantamento de pedra, e um jogo, que não entendi muito bem como se joga, que é com pedras também.

Mas, daí fui pesquisar na internet e realmente eles fazem levantamento de pedra e jogos que tem relação com o trabalho no campo. Encontrei o site da Revista Ibérica que tem fotos antigas dos jogos. Para primeira prática, acho que me fui bem : - ))) Na próxima entrevista eu vou lembrar de tudo. Seguro!

sexta-feira, 29 de maio de 2009

Jueves

A comida de hoje foi bizarra. Olha só na foto. Prá compensar comprei sopaipillas e batata frita prá comer a noite. Me dei mal no control de actualidades, não sei o que é Sofofa e nem quem é o presidente, tampouco sei sobre um negócio chamado Operación Rentas 2009. Se isso saiu no jornal, que leio todo santo dia, creio que para meus olhos brasileiros não pareceu importante.

Depois de pesquisar na internet, descobri que Operación Rentas 2009 é a declaração de imposto de renda e Sofofa é uma Federación Gremial de la Industria e seu presidente é Andres Concha Rodriguez. Agora sei...

Prá melhorar, ontem tive uma crise de enchaqueca que começou ainda durante o programa, tive que tomar dois comprimidos e entendi denovo porque na bula diz que não se pode operar máquinas pesadas depois de tomá-lo. Hoje ainda tava meio de 'ressaca'. Mas aí já é fim de semana e dessa vez não tenho nada muito importante. Vou sair prá passear e bater umas fotos por aí. Ééé...

quinta-feira, 28 de maio de 2009

Miércoles

Hoje foi a gravação do programa Circuito Noticioso da aula de Producción para Televisión. Não levei a câmera porque pensava que a gravação fosse só semana que vem.

Aí sobrou pro celular, de onde tirei essa fotinho a partir da mesa de iluminação. Bom, o que dizer... Acho que trabalho de técnico deve ser feito por técnicos. Que os jornalistas façam seu próprio trabalho.

segunda-feira, 25 de maio de 2009

Criatividade

As obras de arte aí embaixo foram feitas por colegas do Jornalismo nas mesas da sala de aula. Gostei mais do Lula Molusco, hehe.

domingo, 24 de maio de 2009

Cine en Santiago e trabajo...

Ontem fomos ver o filme Anjos e Demônios no cinema da Estación Central. Só prá sair de casa mesmo, porque os que não foram viajar no feriadão são justamente os que tem trabalhos a fazer e provas para estudar e a gente amanhece e vai dormir na frente do computador trabalhando.

Meu trabalho maior é sobre como a crise econômica afeta a política do Brasil, Chile, Argentina e Venezuela. É em dupla e aí dividimos o trabalho e eu fiquei com Brasil e Argentina, menos mal. Amanhã temos que entregar 35% do trabalho concluído. O meu está em seis páginas, mais uma pouco e acho que é suficiente. Enquanto isso, só pelea...

sábado, 23 de maio de 2009

Derecho en toma

O curso de direito da Universidad de Chile está tomado desde 29 de abril. Tomado porque os alunos do curso estão acampados dentro do prédio do curso e se recusam a sair até que suas reivindicações sejam atendidas. E pelo jeito vai demorar, porque o reitor, Roberto Nahum, entrou com uma ação na justiça para desalojar os estudantes mobilizados e a corte de apelações rechaçou o pedido por três votos a zero.

No site oficial do Derecho en Toma tem mais informações. E aqui tem umas fotos.

Bom, como todos aqui tem uma "ideologia militar"(como diz Belén), segue o cronograma de sábado da toma:

10.30 -11.30 Desayuno
11.30 -14.00 Aseo General
14.00 -16.00 Almuerzo
16.00 -18.00 Taller Rebeldías Juveniles (Colectivo Arrebol)
18.00 -20.00 Asambleas de Generación
20.00 -21.00 Once
21.00 -23.00 Asamblea de Toma

sexta-feira, 22 de maio de 2009

Saúde pública no Chile

Ontem pude ver de perto como é o sistema público de saúde aqui de Santiago. Fomos ao Hospital San Juan de Dios, aqui na Quinta Normal, Adonai, Belén e eu, para levar nossa amiga Raquel da Nicarágua para ser examinada porque ela estava bem mal do estômago. Bom, creio que hospital público de cidade grande é igual em todo canto do mundo.

Fila grande, atendimento demorado, enfermeiros e médicos estressados que atendem mal. Resumindo, entre a triagem e o atendimento, até ela ser liberada levou tipo umas três horas e meia, que a gente ficou esperando do lado de fora, sem nem saber onde ela estava. Ao final, Belén insistindo muito, conseguiu entrar para vê-la e o médico a liberou, ela já estava bem melhor.

Agora há pouco vi o recado que ela deixou no Facebook, até fiquei emocionada:

"Agradezco por mis amigos que he encontrado en chile, Belén de Argentina, Adonai y Juliana de Brasil que me acompañaron al hospital casi cuatro horas ya que no me atendian porque amanecí super enferma!!,,, realmente chicos estoy muy agradecida, Nunca olvidaré lo que hicieron por mi!!! Lo bueno es que me siento bien ahora!! Acuérdense que cuentan con una amiga por siempre..-.."

Bom, agora tá tudo bem e como o El Punto tá deserto e é feriadão, a gente tem a tarde toda prá ver TV. Quer dizer, depois do trabalho imenso de economia que tenho para terminar, hehe.

quinta-feira, 21 de maio de 2009

Saudade de casa, mas Chile me gusta mucho!!!

Hoje bateu uma saudade de casa. Aqui é feriado, Batalla de Iquique (depois conto a história), e me bateu uma saudade de Imbituba, de meus cães, da praia, surfar, escutar o barulho do mar...

Mas, ao mesmo tempo gosto muita de estar aqui e curto muito cada momento. Ontem fomos ao Miércoles Po, aquela festa para estrangeiros que é toda quarta em um lugar diferente. Estávamos em nove, Artur, Bernard, Michel, brasileiros, Jon, o basco, Belén, argentina, Raquel, da Nicarágua, Elizabeth, alemã, a chilena que não lembro o nome e eu. O tema da festa de ontem era França e era numa danceteria perto da estação Los Heroes. Não tava muito bom, o lugar era mega abafado, mas curti também. Voltamos às 5 da manhã.

Hoje o El Punto tá deserto, o povo todo aproveitou o feriado prá viajar. Eu tenho um trabalho gigante prá segunda, que é em dupla, e tenho que enviar por e-mail até domingo a minha parte. Ou seja, furou o feriado. Mas, não vou ficar aqui o tempo todo não. De tarde quero aproveitar o tempo bom para ir tirar fotos no Parque Quinta Normal, aqui pertinho de casa. As árvores no outono são muito lindas e o chão se enche de folhas secas.

Nessa semana aprendi duas expressões novas:
- Cachar el mote
, que significa saber o que se passa, que que tá acontecendo e deriva do 'verbo-gíria local' cachai, que em português brasileiro equivale a um saca, tá ligado. Acho que é mais como saca mesmo, um verbo (eu saco, tu sacas, ele saca, hehe), ou como dizem os mineirins de BH daqui: Fraga?

- Piropo é uma palavra que também se diz em português (mais o de Portugal) - mas eu não conhecia - e significa tipo, expressões populares, palavras como gírias, o que os argentinos chamam de lunfardo.

quarta-feira, 20 de maio de 2009

A folha perfeita!

É outono. Todos os dias caem as folhas das árvores. As folhas são lindas mas só uma é perfeita. E ontem eu a encontrei!

terça-feira, 19 de maio de 2009

Piratas no Chile

Hoje editamos a matéria para o novo noticiário que vai se chamar Circuito Noticioso. A matéria é sobre pirataria de softwares no Chile. Os especialistas da área dizem que o pior não é a perda econômica, é a perda de credibilidade do país no exterior. Prá mim a solução é software livre.

Um dos entrevistados, professor e pesquisador da Universidad de Chile, José Picker, até disse que é bem provável que a Microsoft faça uma versão gratuita de sistema operacional, limitada, mas gratuita. E também disse que a Microsoft não tá nem aí pros usuários domésticos que pirateiam, pois o que importa prá eles é que as empresas paguem o sistema.

Acho que a matéria vai ficar bem legal. Olha aí a foto da Katherine e do Javier na ilha de edição.

Por falar em piratas o pessoal do Sea Shepherd SC tá animado. O Joe e a Marina pegaram prá valer e estão agitando a galera com mutirões de limpeza e pedágios de concientização. Depois daquela história com os pinguins que me estressou demais eu me afastei um tanto do Sea Shepherd, mas não vou largar não porque a causa é importante. Só falta um pouco de organização nas comunicações e nisso eu posso ajudar.

segunda-feira, 18 de maio de 2009

El lunes con sonrisa!

Hoje foi uma segunda-feira atípica. Porque impressionantemente (neologismo duca*o) não teve nada que ofendesse meu humor hoje! Isso é realmente raro. Até a comida do Casino estava feliz, dá só uma olhada:
Prá quem não reconheceu, tem uma carinha de pão ali no purê, hehe.
No próximo programa que a turma vai fazer em Producción para Televisión, eu vou fazer a iluminação e hoje fui aprender como se faz porque foi bem a aula que eu perdi quando teve a jornada informativa.

Parece legal e é uma coisa que a gente não faz na UFSC porque os técnicos não deixam. Eles tem razão até, porque o jornalista não vai mesmo sair da facul habilitado prá ser um técnico, mas o que importa é que é divertido. São três focos em cada pessoa no cenário, dispostas em triângulo, um bem atrás da pessoa, a contra-luz, e os outros dois na frente, um se chama luz-clave e aoutra relleno.

O mais surpreendente é que eu sempre me apresentei em palcos mega iluminados e nunca prestei atenção às luzes. Mas, palco é outra história porque você não fica parado no meio, nem se for um monólogo, hehe, então é luz prá caramba prá todos os lados.

Outra notícia boa de segunda (hehe trocadalho...): Tirei 5 no control de economia da última quinta. Isso significa que estou evoluindo, já que comecei com um 2,8 e até aqui foi só aumentando gradativamente. Já posso falar alguma coisa da economia chilena, depois de dois meses aqui. Ah, a nota máxima aqui é sete.

Com as notícias econômicas-políticas do Brasil só me revolto, porque uma CPI na Petrobrás é pura mesquinharia da oposição, uma questão de negócios, como bem diz o Nassif. Não é possível que Serra e companhia, em pleno cenário de crise, já estejam de joguinho prás eleições do ano que vem e ainda tentando se dar bem enfraquecendo a Petrobrás nas negociações do Pré-Sal em favor de empresas que provavelmente estão no financiamento da campanha deles.

Bom, vou acrescentar isso no meu trabalho final de economia daqui que é sobre como a crise afeta a política, principalmente nas eleições do Chile, Argentina, Venezuela e Brasil.

sábado, 16 de maio de 2009

Festa latina, ritmos calientes

Festa com ritmo latino é uma alegria só. Nada daquele puntz, puntz chato do tecno, eletrônico, psy e essas porcarias que são as que mais tocam nas festas. Aqui toca muito de tudo, ritmos latinos calientes e até uns brasileiros meeega antigos como lambada (hehe, tipo brega "Chorando se foi quem um dia só me fez chorar...").

Mas, o que importa é diversão e quem me conhece sabe que me divirto até sozinha, sem beber, e principalmente adoro dançar e aprender danças novas. Ontem fomos, Belén, Camila, Carla, Eduardo e eu, à festa de disfraces da Arquitetura da Usach. Não tínhamos fantasia, por isso fomos de estrangeiros mesmo, hehe. O Eduardo, que é da Arquitetura e é um rapaz bem desenvolto, conseguiu que a gente entrasse pagando menos. Levamos nossas própias cervejas, compradas em uma bottilleria ali perto, e pronto, diversão garantida.

A música estava bem boa, tocava de tudo, salsa, merengue, cumbia, reggeton, lambada e mais um monte de ritmos. As fantasias eram muito legais. Tinha um lápis (perfeito!), o Goku do Dragon Ball, ratinhos, fadinhas, o Zorro, os Homens de Preto, ciganas, o fantasma da ópera, árabes, anjinha, monges, de tudo um pouco.

Nos divertimos a valer, quer dizer a Camila acho que não estava prá festas, mas ela tirou muitas fotos. Até a Carla dançou e muito!! Hehe, Carlinha, você leva jeito, viu? Ela vai começar a frequentar as aulas de baille latinoamericano comigo. Vai voltar pro Brasil bailando de todo!!!

Nessas horas vejo quão distante parece o Brasil dos países de fala castellana. É tão difícil ouvir esses ritmos na nossa terrinha! E quando toca, muita gente torce o nariz, tem preconceito e acha brega. Acho que mais brega são as influências estadounidenses e européias mega chatas nas nossas festas. Nem os ritmos brasileiros são valorizados nas festas. A menos que você esteja num círculo de pessoas com gosto musical mais apurado ou menos amortizado.

Ocorre que quanto mais tempo passo fora de meu país, mais conheço a nossa própria cultura, mais a valorizo e mais a quero. Também vou percebendo que no fundo somos todos parecidos, que as fronteiras são meramente questões políticas e que cultura não tem mesmo fronteiras.

E a multiculturalidade me gusta!

sexta-feira, 15 de maio de 2009

Comida prá todos os gostos

Já notou como a gente assimila os países com suas comidas típicas? A paella espanhola, a guacamole mexicana, a salsicha alemã, o sushi japonês, a feijoada brasileira (que saudade!). Pois é a comida é um fator cultural muito importante e experimentar é uma das coisas que mais gosto de fazer. E não pensem que por ser vegetariana saio perdendo. As melhores comidas são as que podem eliminar a carne, porque é o preparo que as torna boas.

Juntando o útil - conhecer a cultura - ao agradável - comer -, uma das melhores coisas prá se fazer no fim de semana aqui no El Punto é cozinhar. E com tanta influência diferente, de tudo que é país, a gente sempre acaba experimentando algo mais exótico. Hoje comprei uma cerveja de mel, dica do Adonai e nachos porque pretendo dar um jeito no abacate que comprei e fazer um guacamole. Achei uma receita aqui que parece interessante. Depois que eu fizer, vou tirar uma foto prá mostrar prá vocês.

Esses dias eu fiz uma big salada bem variada, aí quando estava pronta no prato, o Juan Carlos, um chileno olhou e disse: Agora só falta um abacate! Os chilenos comem palta - abacate - com comida salgada, no sanduíche, com tudo. Só que o preço não é nada convidativo. Quando está em oferta, o abacate verde custa tipo uns seis reais e o preto, oito reais o quilo. Carinho mesmo.

Outra coisa que a gente tá pensando em fazer é panqueca. Aqui eles comem muito tortillas, que pode ser como uma panqueca ou mais parecida com um pão, tipo massa de pizza. Ontem saí com dois colegas para fazer a matéria para nosso programa de TV e quando eles souberam que sou vegetariana me convidaram para almoçar num templo Hare Krishna - eles são Hare Krishna - perto da estação Los Heroes. Eles conhecem a música Mantra de Nando Reis, que geralmente apresenta em shows com Hare Krishnas. É essa aí embaixo que é como dizem em castellano mucha onda!

quinta-feira, 14 de maio de 2009

Arte en metro

O trocadilho é válido porque aqui arte se vê em cada metro do metrô.

O metrô de Santiago concentra muita cultura. Tem painéis feitos por artistas plásticos, esculturas e centros culturais por todas as linhas. As obras de arte aparecem em cartões postais. E também rola eventos interessantes.

A passagem custa $460 no horário de pico (punta) e $400 no horário normal (vale), com várias conexões entre linhas. Dá prá ir longe de metrô.

No site do metrô se pode ver o mapa das rotas, os eventos culturais patrocinados pelo Metro, alguns deles realizados nos centros culturais que se espalham pelas estações.

Metro também é cultura!

Como eu defino isso?

É o Adonai, brasileiro, Eduardo, paraguaio, e seus colegas da arquitetura da Usach. Quanta criatividade!

Try JibJab Sendables® eCards today!

quarta-feira, 13 de maio de 2009

Novo ¡Paro! denovo

Ah, mais gás lacrimogêneo? Normal...
Pois é já tá virando rotina Paro prá tudo! Hoje depois do almoço fui prá Biblioteca Central porque achei que a reunião ía ser lá (na verdade era na biblioteca do Periodismo) e o que encontrei bem na esquina da reitoria da Usach com a biblioteca?

Um daqueles caminhões de água dos carabineros combatendo uns quantos estudantes que atiravam pedras, ovos e tinta. Isso porque hoje foi dia de Paro Nacional de Educación.

Só que dessa vez peguei o negócio todo do lado de fora da biblioteca, bom estava trancada dentro dos jardins, mas pelo menos tinha uma visão melhor do conflito e no final quando os carabineros tiveram permissão de entrar, pude fotografar um aluno sendo preso, do celular, porque não tinha levado minha câmera.

A Belén disse que viu os carabineros perseguindo um rapaz de uns 16 anos que estava na escaramuça. Ela comentou que se alguém dessa idade está em confronto com a polícia ao invés de estar jogando play em casa ou se divertindo é porque a educação é mesmo muito ruim. Realmente, a mim parece que eles são educados para serem soldadinhos do sistema. Só que não cola e quem percebe isso se revolta.

Eu que pensei que a educação no Brasil fosse ruim, tô tendo que dobrar a língua. Nossa pelea lá é outra.

Agora sou eu! Chutando o balde

Seguido me lembro da professora de Teoria e Metodologia de História da UFSC, Joana Maria Pedro, uma das melhores que já tive a honra de assistir a aula, que dizia mais ou menos isso: "Não somos o mesmo o tempo todo. As vezes as pessoas te falam alguma coisa e você (ri e faz gracejo). Você sabe que não é assim. Mas suas reações não são sempre iguais, planejadas maquinalmente. "

Quando estamos num país estrangeiro nem sempre falamos tudo o que pensamos e por isso as pessoas acham que a gente é de um jeito que a gente sabe que não é. Geralmente mais simpático, mais alegre, mais enturmado ou mais tímido. Hoje chutei o balde e me senti finalmente eu na faculdade. Porque eu sou de observar muito, principalmente num ambiente hostil. Não quero dizer com hostil, algo ameaçador, só diferente mesmo, desconhecido.

E quem disser que o espanhol - ou castellano, como mais dizem aqui - não é barreira está estupidamente enganado. Porque muitas vezes deixo de me expressar do jeito que quero por não encontrar palavras em castellano. Da mesma forma tem muita coisa que entendo pela metade ou nem entendo e fico exatamente como a professora encenou na sua explicação (ri e faz gracejo).

Bom voltando ao ambiente 'hostil' e eu, até hoje fiquei só observando. Porque gosto de observar as coisas como elas são antes de interferir em algo, acho que assim aprendo melhor sobre as pessoas e as coisas. Mas, o fato é que não sou de ficar calada olhando o tempo todo, sou de ação, de liderar, de fazer e acontecer e hoje chutei o balde. As vítimas foram meus colegas de Produción para Televisión, que como toda disciplina de TV, toma muito tempo, empenho e trabalho de toda a equipe.

Estava perdendo muita reunião, simplesmente porque eles decidem se reunir de última hora, mandam um e-mail (que no início eu nem recebia), aparecem os que conseguem ver a tempo e depois ficam se queixando ao professor que tem gente que não faz nada. E hoje recebi um e-mail cujo trecho vou transcrever agora: "...por lo tanto mi eng, estará en franca desventaja, dado que Juliana, la otra miembro de nuestra ENG, ayer ni siquiera apareció en la reunión."

Não sei se entendi errado mas, ni siquiera ou nem sequer, em português se usa para enfatizar algo negativamente. Daí fiquei puta, lógico. Respondi perguntando se precisava de um médium para saber horário e local das reuniões e que se precisava matar aula para fazer as matérias para o programa era sinal que algo se passava de errado com a disciplina ou eles que estavam desorganizados.

Na verdade eu acho que eles estão bem organizados, mas como aqui os professores tratam os alunos como se fossem crianças, acho que eles estão se sobrecarregando simplesmente porque não conversam com os professores. Ao contrário do que acontece na UFSC, que o professor é parte da equipe, aqui ele é um mero avaliador, que circula pela turma com a prancheta para tirar nota da equipe por algum detalhe ridiculo como o cenário que ele achou minimalista ou o cabo do micofone que foi enrolado diferente.

Bom, falei isso tudo que está aí em cima e mais um pouco na reunião de hoje e me senti aliviada. Creio que agora posso fazer o que faço de melhor na faculdade: Jornalismo. Disse a eles que sou crítica sim e que também na minha facul chuto o balde volta e meia. E que só faço isso com equipes que acho que vale a pena, como a deles, e que as críticas são construtivas e devem ser tomadas como tal.

Acho que a próxima coisa que vai ver um balde voando é a questão do meio ambiente aqui. Mas, sei lá, prá isso acho que eles não estão preparados.

Queda prohibido

Poeminha legal do poeta chileno Alfredo Cuervo Barrero. Esse poema já foi atribuído a Pablo Neruda, mas o equívoco foi esclarecido pela Fundación Pablo Neruda.


¿Qué es lo verdaderamente importante?,
busco en mi interior la respuesta,
y me es tan difícil de encontrar.

Falsas ideas invaden mi mente,
acostumbrada a enmascarar lo que no entiende,
aturdida en un mundo de irreales ilusiones,
donde la vanidad, el miedo, la riqueza,
la violencia, el odio, la indiferencia,
se convierten en adorados héroes,
¡no me extraña que exista tanta confusión,
tanta lejanía de todo, tanta desilusión!.

Me preguntas cómo se puede ser feliz,
cómo entre tanta mentira puede uno convivir,
cada cual es quien se tiene que responder,
aunque para mí, aquí, ahora y para siempre:

Queda prohibido llorar sin aprender,
levantarme un día sin saber qué hacer,
tener miedo a mis recuerdos,
sentirme sólo alguna vez.

Queda prohibido no sonreír a los problemas,
no luchar por lo que quiero,
abandonarlo todo por tener miedo,
no convertir en realidad mis sueños.

Queda prohibido no demostrarte mi amor,
hacer que pagues mis dudas y mi mal humor,
inventarme cosas que nunca ocurrieron,
recordarte sólo cuando no te tengo.

Queda prohibido dejar a mis amigos,
no intentar comprender lo que vivimos,
llamarles sólo cuando los necesito,
no ver que también nosotros somos distintos.

Queda prohibido no ser yo ante la gente,
fingir ante las personas que no me importan,
hacerme el gracioso con tal de que me recuerden,
olvidar a todos aquellos que me quieren.

Queda prohibido no hacer las cosas por mí mismo,
no creer en mi dios y hallar mi destino,
tener miedo a la vida y a sus castigos,
no vivir cada día como si fuera un último suspiro.

Queda prohibido echarte de menos sin alegrarme,
odiar los momentos que me hicieron quererte,
todo porque nuestros caminos han dejado de abrazarse,
olvidar nuestro pasado y pagarlo con nuestro presente.

Queda prohibido no intentar comprender a las personas,
pensar que sus vidas valen más que la mía,
no saber que cada uno tiene su camino y su dicha,
sentir que con su falta el mundo se termina.

Queda prohibido no crear mi historia,
dejar de dar las gracias a mi familia por mi vida,
no tener un momento para la gente que me necesita,
no comprender que lo que la vida nos da, también nos lo quita.

Esse é o Ernesto

Esse é o Ernesto fofinho, que por enquanto só em foto mesmo. Guentae, meu sobrinho, que eu chego prá sentir o seu cheirinho!!!
Como não podia deixar passar um poema de Pablo Neruda assim, num momento tão bonito, aí vai:


ODA A LA ALEGRÍA

ALEGRÍA
hoja verde
caída en la ventana,
minúscula
claridad
recién nacida,
elefante sonoro,
deslumbrante
moneda,
a veces
ráfaga quebradiza,
pero
más bien
pan permanente,
esperanza cumplida,
deber desarrollado.
Te desdeñé, alegría.
Fui mal aconsejado.
La luna
me llevó por sus caminos.
Los antiguos poetas
me prestaron anteojos
y junto a cada cosa
un nimbo oscuro
puse,
sobre la flor una corona negra,
sobre la boca amada
un triste beso.
Aún es temprano.
Déjame arrepentirme.
Pensé que solamente
si quemaba
mi corazón
la zarza del tormento,
si mojaba la lluvia
mi vestido
en la comarca cárdena del luto,
si cerraba
los ojos a la rosa
y tocaba la herida,
si compartía todos los dolores,
yo ayudaba a los hombres.
No fui justo.
Equivoqué mis pasos
y hoy te llamo, alegría.

O Poema completo está aqui no site da Fundação Pablo Neruda.

terça-feira, 12 de maio de 2009

Oasis en Santiago

Finalmente vou falar sobre o show do Oasis. Que tava massa, já cansei de dizer. Daí agora vão os detalhes. Saímos do El Punto lá pelas sete horas, Arthur, Jon, Pauline, Michel, João e namorada, Adonai e namorada, Nath, Camila e Eu. Pegamos o metrô até a estação Parque O`Higgins, onde fica a Arena Movistar, um teatro multiuso com capacidade para 15 mil pessoas.

Quando chegamos já havia uma banda chilena, Primavera de Praga, aquecendo a galera. Era boa, dá prá escutar as músicas no Facebook deles. Para chegar aos lugares numerados havia funcionários - como lanterninhas, hehe - que indicavam o seu lugar. É lógico que eles não ficavam cuidando se você permanecia sentado no seu lugar ou não, por isso, mesmo depois de o show ter começado, quando chegavam uns atrasados, eles ficavam reacomodando e incomodando as pessoas.

Oasis pisou no palco pontualmente - ou seria britanicalmente? - às 21h. O cenário era só luzes, super bem montadas, no ritmo das músicas. Não tinha nem um nomezinho do Oasis, nem em luzes, painéis, nada. Bom mas no som era todo Oasis. A banda liderada pelos irmãos Gallagher começou com Rock`n`roll Star, a música de Noel, na voz de Liam.

Oasis é uma banda que os carinhas da parte de fofocas da MTV devem adorar. Os irmãos vivem se alfinetando, parece que não se suportam mesmo. Já discutiram antes, durante e depois de shows, só pegam voos separados e os assunteiros de plantão estão sempre especulando se a banda dura mais tempo ou não.

Noel é o compositor das músicas de maior sucesso, toca guitarra e canta, enquanto Liam é vocalista e reponsável pelos pitis mais infantis do cenário rock entre família. Ele já se negou a cantar, já saiu do palco no meio de uma música que estava cantando, já se negou a entrar no palco, entre outras infantilidades. E Noel, o irmão mais velho, é sempre quem segura as pontas.

Toda essa animosidade se reflete na distância entre Noel e Liam no palco. Tanto física, eles guardam uns cinco metros de distância, quanto profissional. Noel é um músico completo, segura o show sozinho. Enquanto Liam, nos intervalos entre uma estrofe e outra, apenas pára ao lado das caixas de retorno com as mãos nos bolsos, olhando a platéia, e sai do palco quando Noel está cantando.

Em entrevista para o Terra, Liam disse que não briga mais com Noel. Eles simplesmente se ignoram.

Para o público que curte a banda e foi ver o show, isso pouco importa. Os fãs histéricos que pagaram os ingressos mais caros para ficar perto de seus ídolos agitam suas câmerazinhas de foto, enchendo o mar de gente de quadradinhos azuis brilhantes.

No palco a banda apresenta o repertório do novo CD, Dig Out Your Soul, lançado no ano passado, e algumas músicas antigas, como Champagne Supernova, Wonderwall e Don`t Look Back in Anger. Essa última, levada por Noel é, disparada, a favorita do público que vai ao delírio cantando junto.

O Noel tem um blog onde escreve os bastidores da tourné. Neste link tem mais info e o link do blog e do site do Oasis, que não estão funcionando, creio que por excesso de visitas.

O show acabou e voltamos prá casa a pé, após algumas considerações e discussões físico-espaciais de onde ficava nossa residência, e um cachorro guia que resolveu nos acompanhar até a Alameda onde encontrou mais cachorros. Do que consegui editar até agora tem dois vídeos que estão nos posts abaixo (quem procura, acha). E eu que não sou fanática de banda nem artista nenhum gostei do show porque gosto de boa música.

Chuva!!!!!

Cara, tá chovendo!!!! É a primeira chuva desde que cheguei aqui em Santiago. Eu pensei que não caía água do céu nessas paragens. Amanhã acho que é dia de ir com casaco impermeável, porque não gosto de paraguas. Hehe, essa palavra é esquisita. Quando eu tava tentando explicar pro pessoal da dança que no frevo se usa uma sombrinha, eu dizia paralluvia. Até que alguém se ligou que eu tava querendo dizer paraguas. Mas, é um nome esquisitinho, não?
Essa é a sacada da minha habitación e aquilo é chuva mesmo!

segunda-feira, 11 de maio de 2009

Show do Oasis - parte dois - Lyla

Este é o segundo vídeo do show do Oasis na Arena Movistar, com a música Lyla em edição especial feita para minha cadela Laila. Ora, me diverti fazendo isso, heheh.

domingo, 10 de maio de 2009

A pedido de mi mama - Feliz dia das mães!!!

Pido silencio
Pablo Neruda

Ahora me dejen tranquilo.
Ahora se acostumbren sin mí.

Yo voy a cerrar los ojos

Y sólo quiero cinco cosas,
cinco raices preferidas.

Una es el amor sin fin.

Lo segundo es ver el otoño.
No puedo ser sin que las hojas
vuelen y vuelvan a la tierra.

Lo tercero es el grave invierno,
la lluvia que amé, la caricia
del fuego en el frío silvestre.

En cuarto lugar el verano
redondo como una sandía.

La quinta cosa son tus ojos,
Matilde mía, bienamada,
no quiero dormir sin tus ojos,
no quiero ser sin que me mires:
yo cambio la primavera
por que tú me sigas mirando.

Amigos, eso es cuanto quiero.
Es casi nada y casi todo.

Ahora si quieren se vayan.

He vivido tanto que un día
tendrán que olvidarme por fuerza,
borrándome de la pizarra:
mi corazón fue interminable.

Pero porque pido silencio
no crean que voy a morirme:
me pasa todo lo contrario:
sucede que voy a vivirme.

Sucede que soy y que sigo.

No será, pues, sino que adentro
de mí crecerán cereales,
primero los granos que rompen
la tierra para ver la luz,
pero la madre tierra es oscura:
y dentro de mí soy oscuro:
soy como un pozo en cuyas aguas
la noche deja sus estrellas
y sigue sola por el campo.

Se trata de que tanto he vivido
que quiero vivir otro tanto.

Nunca me sentí tan sonoro,
nunca he tenido tantos besos.

Ahora, como siempre, es temprano.
Vuela la luz con sus abejas.

Déjenme solo con el día.
Pido permiso para nacer.


PS: Esse poema me comoveu às lágrimas quando o li logo após sair da casa do Pablo Neruda, La Chascona, aqui em Santiago. Estava com minha mãe.

sábado, 9 de maio de 2009

Show do Oasis - parte um

Publiquei a primeira parte do show do Oasis, com a música Rock`n`roll star. Curtam!

sexta-feira, 8 de maio de 2009

Cruzeeeeeiro, Brasil, Brasil!!!

Para chegar ao Estádio Nacional pegamos o metrô e descemos na Estação Ñuble. Estávamos em sete: Eu, Camila, Marília, Arthur, João, Jon, o basco, e Juan Carlos, chileno, o único que ía torcer prá Universidad de Chile. No caminho foi entrando gente e mais gente com uniforme da U. e o Juan Carlos foi contando do fanatismo dos torcedores da violência nos clássicos, e a gente foi ficando cabreiro, mesmo estando todo mundo camuflado com casacos escondendo as camisetas de torcida. Por via das dúvidas a gente evitava falar português perto dos torcedores.

Logo que a gente desceu na estação, um carabinero já parou o Juan Carlos prá revistar e a gente esperou do lado de fora. Na medida que avançávamos até o estádio, seguindo a turba, dava prá ver o aparato bélico que os carabineros prepararam para o jogo. Foi dando uma apreensão. Já no estádio, fomos instruídos a ir até o portão 12 e já tínhamos entrado quando a Camila, que estava na entrada, chamou a gente de volta. Estávamos no portão errado.

Os carinhas que tinham de conferir o bilhete não perceberam que o nosso portão era outro e a gente ía entrando no meio da torcida da U.! Fiquei possessa e comecei a xingar em português mesmo. Esses f..d...p... querem ferrar a gente! PQP, c*lho!!!

Então um dos organizadores pegou nossos comprovantes de bilhete que já haviam sido destacados e levou a gente até o portão certo. Entramos na faixa de estádio mais deserta de todos os tempos. Encontramos vários mineirins por lá, alguns a passeio ou a trabalho no Chile e uns representantes da Máfia Azul. Sacamos os casacos fora para torcer, ali era o pedaço mais seguro de todo o campo. Um pouco depois chega o Michel, que com um jeitinho brasileiro conseguiu entrar sem pagar.

Estávamos cercados de seguranças, vigilantes e carabineros. Tinha mais deles por ali que torcida do Cruzeiro. Já a torcida da U. mostrava seu poder. Cantando e agitando seus balões foram animando o estádio. A nossa torcida não tinha nem um tamborzinho, hehe.

Começa o jogo e já aos oito minutos o primeiro gol do Cruzeiro, feito por Soares. A nossa chiquita torcida vem abaixo. Aumenta o número de carabineros na nossa arquibancada. O jogo vai rolando e a gente vai torcendo no ritmo da torcida chilena. Faz um frio congelante e a gente põe os casacos de volta. Os fotógrafos e cinegrafistas da imprensa registram nossa torcidinha pequena, mas animada.

No segundo tempo o Cruzeiro faz mais um gol, do Marquinhos Paraná. Um dos representantes da Máfia Azul escala a grade para comemorar. Rola um estranhamento de leve com os carabineros, nada demais. A torcida da U. acorda e tenta animar o time. Mais gente da segurança aparece, estamos cercados de torcedores nada amigáveis com seu time perdendo.

Falta 10 minutos para acabar a partida e o pessoal pensa em ir embora para evitar problemas. A U. faz um gol, de Manuel Villalobos, e a torcida comemora, os mais próximos fazem sinais prá nossa torcidinha. Depois de algumas considerações, a gente decide ir. Um chileno fala alguma coisa que ninguém entende e um carabinero faz sinal prá ele se calar e prá gente ir embora. Ficamos mais um pouco e saímos apreensivos, casacos fechados para impedir identificação.

Do lado de fora ainda dá tempo de ouvir a torcida revoltada com o segundo cartão amarelo para Rafael Olarra, que deu um chute no rosto de Ramires e foi expulso (soube depois).


Em português:
Cruzeiro mostra força e faz 2 a 1 na Universidad de Chile
Em castellano:
Cruzeiro pisa fuerte en Chile (1-2)

¡¡¡¡¡Meu sobrinho nasceu!!!!!!

Ernesto dos Santos Galcer nasceu hoje às 8h15 min em sua casa em Florianópolis, SC. Veio apressado porque estava sendo esperado para semana que vem. É bonitinho igual a titia!!! Assim que eu receber alguma foto eu boto aqui prá vocês todos verem o niñito más guapo do mundo!!!

quinta-feira, 7 de maio de 2009

Cruzeiro X Universidad de Chile

Vamos ao jogo!!! É hoje às 21 h no Estádio Nacional.
É a primeira vez que vou ver meu time jogar e não tenho neem uma camiseta...

E pelo jeito a U tá se borrando de medo do Cruzeiro. Aqui no Chile os melhores times são Colo Colo e Universidad de Chile e os dois tão indo meio mal nos campeonatos esse ano. Na verdade o futbol chileno não tem tradição de bons jogadores.

Se você tentar puxar na memória não vai se lembrar de nenhum dos tops que seja do Chile, nem antigo, nem novo. E eles me perguntam porque cobramos tanto da nossa seleção. Ora, são os melhores do mundo, respondo. Eles ganham bem, jogam bem teem obrigação de ganhar sempre, não é?

Meu palpite é goleada do Cruzeiro, hehe!

quarta-feira, 6 de maio de 2009

O Show do Oasis foi muito massa!!! Mas, fotos e vídeo só amanhã porque hoje ainda tem PEP. Si po!

Do La Tercera:

Oasis cumplió con sus fans en su tercera visita a Chile

Los británicos se presentaron ante 12 mil personas en el Movistar Arena.

[+]

terça-feira, 5 de maio de 2009

Eleições na Usach

Amanhã tem eleições para a FeUsach (Federación de Estudiantes Universidad de Santiago de Chile) algo semelhante ao DCE na USACH e hoje foi o último dia de campanha (veja no cartazinho ao lado).

Tem que ver como são as campanhas, parece coisa de político mesmo! Não sei de onde vem o financiamento, mas eles investem grana nisso.

São duas chapas: Lista B e Lista C e todos fazem mega cartazes com fotinhos sorridentes de campanha e espalham por todo o campus.

Olha só a pretensão do slogan da Lista B:
Sabemos o que falta, sabemos como fazer
(foto ao lado). Enquanto o da Lista C é mais discreto: Avanza Usach!


Show do Oasis!!!!!

Hoje à noite tem show do Oasis e vamos numa galera. Fica na Arena Movistar, perto da Estación Central e da Estação de Metro Parque O`Higgins.

Passei a madrugada estudando e acho que fui bem na PEP de Planificación y Comunicación Estrategica. O almoço de hoje foi aquela sopa de macarrão com feijão que dá o rebuliço na galera.

segunda-feira, 4 de maio de 2009

Tô de PEP

Sigo estudiando. Hoje entreguei a PEP de Orden Económico sobre a relação cobre -petróleo no Chile. Qualquer dia ponho aqui porque é bem interessante o negócio. A Belén revisou e achou legal, espero que o professor ache o mesmo...

A mãe foi de volta pro Brasil hoje. Eu e a Belén fomos levá-la no aeroporto. Na volta senti muita falta quando cheguei no El Punto. Já tinha me acostumado a ir pro quarto da mãe no primeiro piso e depois descer prá janta, hehe. Comi miojo e o Jon, um basco de Bilbao, tirou onda com meu miojo, porque ele e o Arthur estavam cozinhando em três panelas, hehe.

Ué, a mãe foi embora só me restou fazer miojo, até me acostumar. Tô brincando, só nao queria perder muito tempo na cozinha, porque amanhã tem PEP de Planificación Estrategica e tenho que estudar muiiito!!!

domingo, 3 de maio de 2009

Oasis en Chile!!!

Comercial do show do Oasis en Chile.



E nós vamos!!!

sábado, 2 de maio de 2009

Vamos ao jogo!!!

Quinta, dia 7, tem Cruzeiro X Universidad de Chile no Estádio Nacional. Tô marcando que vou!!! Si po!

sexta-feira, 1 de maio de 2009

Hoje é feriado, eu e a mãe almoçamos estrogonoff e vinho. E eu não desgrudei do computador o dia todo pois tenho que terminar meus trabalhos para poder passear no findi. Vida de intercambista é foda mas, só vou contar porque depois. É foda mas é divertido também. É que a gente gosta de sofrer, hehe.